Iniquidade, por Ana Mendez

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Iniquidade, por Ana Mendez

Mensagem por Quel25 em Sex 18 Abr 2008 - 0:09

Estudo sobre iniquidade

A Iniqüidade

Extraído do livro: A Iniqüidade (autora Ana Méndez Ferrel)



“Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que em ti se achou iniqüidade. Pela abundância do teu comércio o teu coração se encheu de violência, e pecaste; pelo que te lancei, profanado, fora do monte de Deus, e o querubim da guarda te expulsou do meio das pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei; diante dos reis te pus, para que te contemplem. Pela multidão das tuas iniqüidades, na injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu a ti, e te tornei em cinza sobre a terra, à vista de todos os que te contemplavam.” (Ezequiel 28:15 e 18)



1. A maldade (iniqüidade, v.15) é a semente diabólica de onde todo o mal se origina. Esta é transmitida ao homem desde seu nascimento e irá impregnar o coração de pensamentos e intenções que se opõem à justiça, a verdade, ao amor e a tudo o que Deus é. A iniqüidade (v.18) é a soma de todos estes pensamentos torcidos ou a soma da maldade do homem.



2. A iniqüidade impregna o espírito do ser humano no instante em que o embrião é concebido. É neste momento que toda esta informação da herança espiritual da maldade se estabelece nele.



3. A iniqüidade é um cordão espiritual torcido, e para defini-la, de alguma maneira, é onde vão sendo gravados todos os pecados do homem e o que será sua herança nas gerações seguintes. É onde fica gravado todo o legado torcido e pecaminoso que um homem entregará a seus filhos. Estes, por sua vez, torcê-lo-ão ainda mais com seus próprios pecados e entregá-lo-ão como uma mensagem de maldição à geração subseqüente.



O pecado de Judá está escrito com estilete de ferro, gravado com ponta de diamantes nas tábuas dos seus corações e nas pontas dos seus altares. (Jeremias 17.1)



4. A iniqüidade é o que a Bíblia chama de corpo do pecado.



O corpo do pecado se origina no espírito e invade a alma e o corpo físico, como um lodo que suja tudo. Muitas pessoas se chamam cristãs, mas o que crêem é filosofia, ética e doutrinas acerca da verdade ou alguns fenômenos sobrenaturais. Crer assim não produz um novo nascimento, nem concede às pessoas um espírito novo. Quando se crê tão somente com a mente, podemos saber a Bíblia de memória ou recitar “o credo” e nenhuma destas coisas leva ao novo nascimento. O coração é o órgão de nossa alma que se encontra intimamente ligado ao nosso espírito e, somente através dele, é que podemos nos arrepender para uma mudança radical de vida.



5. É necessário deixar a antiga maneira pecaminosa de viver



O apóstolo João escreve o que estamos afirmando, insistindo que esse caminhar em iniqüidade e um terrível engano. Recordemos que a iniqüidade e a justiça se opõem radicalmente e se tivesse que coexistir durante toda a vida em um suposto crente, este se encontraria em um lamentável e terrível estado de juízo durante toda a sua existência. Isto é porque a justiça inevitavelmente julga a iniqüidade.



E bem sabeis que ele se manifestou para tirar o nosso pecado; e nele não há pecado.

Qualquer que permanece nele não peca (não vive na prática do pecado);

Qualquer que peca não o viu nem o conheceu. Filhinhos, ninguém vos engane.

Quem pratica justiça é justo, assim como ele é justo. Quem comete o pecado é do diabo;

Porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifesta:

Para desfazer as obras do diabo. Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado;

Porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus.

Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo.

Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus. I João 3.5-10



6. A iniqüidade e o assolamento de cidades



1. A iniqüidade não afeta somente a vida de uma pessoa, mas também vai se constituir no fundamento de maldição e destruição de cidades. Desde que o homem caiu em pecado, e a iniqüidade passou a formar parte de seu ser, a terra absorveu esta semente de maldade ficando maldita desde então.



2. Ao homem disse: Porque deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por tua causa; em fadiga comerás dela todos os dias da tua vida. Gêneses 3.17





3. A partir daquele momento, a criação toda geme para ver a manifestação gloriosa dos filhos de Deus (cf.Rom.8.19-21). O Senhor nos deu a terra e ainda que tenhamos perdido o senhorio dela, é nossa responsabilidade declarar sua redenção através do sacrifício que Jesus fez por nós. Embora tenhamos sido maldição para a terra, também podemos ser bênçãos e comer dela com paz e gozo.



4. A iniqüidade não somente penetrou na terra, no momento da queda, mas a nossa própria iniqüidade traz sobre ela toda forma de mal.



Falais deveras o que e justo, ó poderoso? Julgais retamente, filhos dos homens?

Não, antes no coração forjais iniqüidades; sobre a terra fazeis pesar a violência das vossas mãos. Salmos 58.1,2

5. Cidades inteiras (inclusive nações) são fundadas através de consagrações territoriais a deuses pagãos, desenhos maçônicos, geometria mágica, e horrendos sacrifícios e derramamentos de sangue. Tudo isto repercute no desenvolvimento de uma cidade e é necessário redimir os fundamentos desta.



6. Por isso é necessário que os justos façam justiça, e que suas orações e suas obras curem as cidades.



Mas se confessarem a sua iniqüidade, e a iniqüidade de seus pais, sua infidelidades contra mim, e suas hostilidades diante de mim, por causa das quais fui contrário a eles, e os conduzi à terra dos seus inimigos, então, se o seu coração incircunciso se humilhar, e tomarem por bem o castigo da sua iniqüidade, lembrar-me-ei da minha aliança com Jacó. E da minha aliança com Isaque e da minha aliança com Abraão, e da terra me lembrarei. Levítico 26.40-42



7. A iniqüidade e as maldições



7. Tanto as bênçãos como as maldições são leis espirituais que estão buscando onde se instalar. São como um pássaro voando que está procurando onde pousar para fazer seu ninho a fim de se estabelecer e cumprir seus propósitos.



Como o pássaro no seu vaguear, como a andorinha no seu vôo, assim a maldição sem causa não encontra pouso. Provérbios 26.2





8. Em muitas ocasiões, encontro-me com pessoas que havendo lido livros ou escutado ensinos sobre maldições, revogam-nas e cancelam-nas de suas vidas, mas com o tempo estas retornam sobre elas. A razão disto é que, pelo poder do Espírito, conseguiram afasta-las, por um tempo, contudo nunca desarraigaram a sua causa, que é iniqüidade. A maldição ficou flutuando, buscando outra vez onde se instalar. Ao ver de novo a iniqüidade na pessoa, volta se prender a ela.



8. O que é uma maldição? Eu gosto da definição dada pelo Apóstolo John Eckhardt em seu livro: Identificando e Rompendo Maldições: “Uma maldição é a recompensa dada por Deus sobre uma pessoa e sua descendência como resultado de sua iniqüidade”, conforme está no livro de Lamentações 3.64-66:



Tu lhes darás a recompensa, ó Senhor, conforme a obra das suas mãos. Põe um véu sobre o seu coração, seja a maldição sobre eles. Persegue-os na tua ira, e destrói-os debaixo dos céus do Senhor.



9. As maldições podem ser identificadas através de vários sintomas recorrentes e provêm de raízes específicas de iniqüidade.



10. Problemas financeiros crônicos, pobreza e miséria, terra que não produz fruto, negócios que se secam sem razão aparente:



Causa: Roubo, fraude, bruxaria ou feitiçaria, idolatria, confiar no homem em lugar de Deus, roubar a Deus nos dízimos e ofertas. Malaquias 3.8,9. Jurar falsamente em nome de Deus. Zacarias 5.4;



Quando uma pessoa identifica que será sob maldição, a primeira coisa que tem a fazer é situar a causa. Esta pode se encontrar na própria pessoa ou em sua linha geracional. Comumente está em ambas.



Às vezes, necessitamos que o Espírito Santo nos revele acontecimentos do passado, como o caso que narrei acerca de meu avô no tópico: “A iniquidade, a ruína e a escassez financeira”.



Depois, será necessário se arrepender da iniqüidade e, então, desarraigá-la do espírito. Uma vez feito isto terá que se revogar e cancelar as maldições, rompendo seu poder sobre a sua vida.



Por fim, concluir, proclamando a vitória de Jesus na cruz, onde Ele Se fez maldição para nos libertar.



Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós, pois está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro. Ele nos resgatou para que a benção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebêssemos a promessa do Espírito. Gálatas 3.13 e 14





11. É necessário fazer listas detalhadas e exaustivas. Isso não é um requisito para nossa salvação, mas o é para a remoção de obstáculos À nossa liberdade total e bênção completa.



12. Uma vez pedindo perdão, de maneira específica, por tudo o que identificamos, arrependidos e conscientes das implicações no reino espiritual; então, temos de ordenar que seja extinta toda iniqüidade de nosso espírito e de nossa alma. Em seguida, temos de ordenar que a substância física a qual produziu a iniqüidade e que foi alojada em nossos ossos e órgãos, saia.



13. Esta oração pode ser semelhante a que sugiro a seguir:





“Senhor, peço-Te perdão por minha iniqüidade e pela iniqüidade de todos meus antecessores. Pecamos conta Ti, mas hoje eu me arrependo por toda minha linhagem geracional porque cometemos tal e tal pecado. Peço-Te que nos perdoes e nos limpes. Purga do meu espírito, de minha alma e de meu corpo toda esta iniqüidade (ler Daniel 9.3-8; Neemias 1.4-6; I Jô. 1.9,10 e Salmos 51.2).
Agora, ordeno que saia toda iniqüidade contida e abrigada em meus ossos e de minhas entranhas em Nome de Jesus!”



14. Faça isto até que haja a manifestação da saída das iniqüidades. Às vezes, são necessárias horas ou um dia inteiro para que saia tudo. É possível que você experimente um pouco de fadiga. É totalmente normal, rapidamente se recuperará. Uma vez feito isso, proceda ao cancelamento das maldições que se juntaram à iniqüidade em sua vida.

Agora, você está pronto para que a Justiça de Deus se estabeleça sobre sua vida e com ela todas as bênçãos de Deus.
Retirado de : http://www.profeticoapostolico.com.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=53&sid=21

Quel25
Moderador
Moderador

Feminino Número de Mensagens : 1156
Idade : 34
Localização (Cidade/UF) : Maringá/PR/Brasil
Data de inscrição : 25/03/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Iniquidade, por Ana Mendez

Mensagem por gabii em Seg 12 Maio 2008 - 20:20

[quote="Quel25"]
Estudo sobre iniquidade

5. É necessário deixar a antiga maneira pecaminosa de viver




Qualquer que permanece nele não peca (não vive na prática do pecado);

Qualquer que peca não o viu nem o conheceu. Filhinhos, ninguém vos engane.


verdade.......verdade.....................verdade..................verdade....................
sem palavras................sem palavras....................sem palavras.............

gabii
Forista Golden
Forista Golden

Feminino Número de Mensagens : 1060
Idade : 23
Localização (Cidade/UF) : niteroi rj
Data de inscrição : 22/03/2008

Ver perfil do usuário http://www.assembleiadossantos.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum